Em declarações hoje, quarta-feira, à Angop, no Lubango, a directora do Inadec na província, Bárbara Coutinho, disse que os sacos de farinha de 25 quilogramas, com data de validade activa, apresentavam mau cheiro e acumulados de bolor.

Acrescentou que o produto teve o seu fabrico em Janeiro deste ano, mas as condições do estabelecimento, sem arejamento, contribuíram para a deterioração do produto.

De acordo com a chefe dos serviços, o produto será incinerado, com vista a proteger a saúde da população.

“A empresa será sancionada porque a farinha foi encontrada em exposição para a venda, ao preço de 200 kwanzas o quilo”, salientou.

O Inadec trabalha numa comissão multissectorial integrada por técnicos do gabinete provincial de inspecção e do Serviço de Investigação Criminal (SIC).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.