O ministro Ernesto Araújo iniciará a visita no próximo domingo, começando por Cabo Verde, onde jantará com autoridades daquele país africano, seguindo-se, na segunda-feira, uma reunião com o seu homólogo cabo-verdiano, o ministro Luís Filipe Tavares, informou o secretário de Negociações Bilaterais no Oriente Médio, Europa e África brasileiro, Kenneth da Nóbrega.

Ainda em Cabo-Verde, o governante brasileiro tem agendada uma audiência privada com o primeiro-ministro cabo verdiano, Ulisses Correia e Silva.

Segue-se a viagem para Dakar, capital do Senegal, onde Araújo se encontra com o chefe de Estado, Macky Sall, com o presidente da Assembleia Nacional, Moustapha Niasse, e com o Ministro dos Negócios Estrangeiros, Amadou Ba.

Após a passagem por território senegalês, o ministro parte para a Nigéria, onde participará num fórum de produtos de defesa, tendo como missão a promoção comercial brasileira no setor, declarou Kenneth da Nóbrega à imprensa.

Ainda na Nigéria, Ernesto Araújo terá uma audiência com o vice-presidente da República, Yemi Osinbajo, um encontro com o presidente da Comissão da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), o marfinense Jean Claude Kassi-Brou, e uma reunião com dois ministros nigerianos.

O último destino do Ministro das Relações Exteriores do Brasil é Luanda, capital de Angola, onde tem marcada uma reunião privada com o seu homólogo angolano, Manuel Domingos Augusto, uma audiência com o chefe de Estado, João Lourenço, e um reunião alargada com as delegações dos dois países.

A visita a Angola tem agendada uma cerimónia de assinatura protocolos, onde o Governo brasileiro prevê firmar um acordo de intercâmbio e cooperação em segurança pública, e o anúncio da conclusão de um acordo para eliminar a dupla tributação para serviços aéreos, seguidos de uma conferência de imprensa.

Contudo, o diplomata Kenneth da Nóbrega frisou que nenhum destes acordo está dado como certo.

Ernesto Araújo irá reunir-se ainda com a ministra das Finanças de Angola, Vera Daves de Sousa, e estará presente num evento empresarial de Defesa.

A visita a países da África Ocidental termina em 13 de dezembro, em Angola, com uma palestra de Ernesto Araújo a autoridades locais e ao corpo diplomático sobre a política externa brasileira, seguida de um almoço privado.

"A missão do ministro Araújo à África Ocidental irá concentrar-se em temas fundamentais, como a defesa e segurança, e comércio e investimento. Nos primeiros dois pontos, é bom observar que todos os países a serem visitados pertencem ao Atlântico Sul. A ideia é, na conversa com esses quatro Estados e a CEDEAO, reactivar a diplomacia brasileira em matéria de segurança para o Atlântico Sul", revelou Nóbrega.

O Brasil deverá anunciar ainda a sua vontade de ser membro pleno do chamado grupo do G7 - amigos do Golfo da Guiné.

Os motivos da aposta do Brasil em matérias de defesa passam pela "deterioração das condições de segurança no Atlântico Sul, por onde transitam 95% dos navios que levam exportações brasileiras, com um grande aumento de crimes de pirataria, roubos de carga e combustíveis", argumentou o diplomata em declarações à imprensa.

Em relação à promoção de Comércio e Investimento, o embaixador brasileiro frisou o facto de África ser um dos continentes onde as economias mais crescem actualmente, e que Nigéria e Angola ocupam o quarto e quinto lugar nos maiores mercados do Brasil em África.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.