Em comunicado a que a agência Lusa teve hoje acesso, a Sonangol, petrolífera estatal angolana, refere que a United Shine tem uma participação de 90% e a Sonaref 10% do respectivo capital social.

A nota, que não refere as empresas que constituem o consórcio United Shine, salienta que a abertura do concurso internacional para a construção da Refinaria de Cabinda e do Lobito arrancou no quarto trimestre de 2017, tendo sido apuradas, na primeira fase, 28 das 68 empresas e consórcios que manifestaram interesse de investimento.

Na segunda fase, foram seleccionadas sete candidatas, que foram submetidas a uma avaliação da sua condição jurídico-legal, competências técnicas e financeiras, realizada por uma “entidade independente e de reconhecida reputação internacional”.

A construção destas refinarias decorre no âmbito da estratégia de desenvolvimento da actividade de refinação de petróleo bruto em Angola.