Sob iniciativa da Associação Industrial de Angola (AIA) e abraçada pelo governo, o programa que devia ter arrancado com a campanha agrícola, pode ser lançado ainda este ano e abrangerá perto de seis mil comerciantes rurais que deverão receber um crédito de cinco milhões de kwanzas cada.

Em entrevista hoje, sexta-feira, à Angop, o presidente da AIA, José Severino, disse que os comerciantes rurais serão seleccionados pelos administradores municipais, pois o crédito que lhes será atribuido é mediante uma garantia da confiança. O foco é a produção de grãos, como milho, feijão, massango, massambala, trigo e café.

Para o efeito, o economista frisou que é preciso impedir que o Estado privatize os silos, porque são parte importante desse processo de incentivo a produção e devem servir a comunidade que produz, mas com custos baixos.

“O Governo criou o Programa de Apoio ao Crédito (PAC) para activar a economia por via do investimento no sector produtivo. O que se segue é que investimento leva tempo, entretanto os valores estão imobilizados, mas não podem ficar parados, então a nossa proposta ao Governo foi da criação de um fundo circulante a retirar nesses valores do PAC, para activar o comércio e a produção rural”, disse.

O objectivo, segundo fez saber, é assegurar recursos para chegar aos camponeses, como inputs agrícolas, sobretudo através desses comerciantes rurais, que serão os primeiros na linha de compra da produção da agricultura familiar.

José Severino disse que o mecanismo financeiro é o repassar do valor do PAC, que são as reservas substanciais do BNA, que passam para um banco comercial público e serão eles a financiar os comerciantes.

A devolução do valor financiado, segundo a fonte, não corre risco, porque o agricultor pagará após vender o produto, ou entregá-lo-á ao instituto de cereais que avaliza a reposição do crédito ao comerciante do campo, tornando-se num fundo permanente que não desaparece.

Disse que está em curso um processo de apoio ao Instituto de Cereais para o encorajar a recuperar as suas instalações em todos os municípios.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.