Para esta edição, a decorrer de 10 a 14 deste mês, 15 países confirmaram já sua participação, com destaque para África do Sul, Portugal, Suécia, Itália, Alemanha, Holanda, Reino Unido, Rússia, Gana, Moçambique, Uruguai, Brasil e Estados Unidos.

A organização da feira espera na ZEE, situada no município de Viana, mais de seis mil visitantes por dia, entre estudantes, empresários e profissionais das diversas áreas.

Contrariamente ao espaço de exposição da Baía de Luanda, onde decorreu a 33ª edição da FILDA, na ZEE, com quase três hectares, há uma ampla área para parqueamento de viaturas de visitantes e expositores, espaços para restauração e área administrativa.

A propósito da preparação da feira, a directora de marketing da FILDA 2018, Cláudia Vidal, disse pretenderem, com as novas instalações, estabelecer um “ponto certo” de negócios nacionais e internacionais e dar resposta à visão do Executivo em transformar está zona numa cidade empresarial, que fomenta o emprego e a competitividade entre as indústrias nacionais.

Estarão presentes empresas dos sectores da construção civil, indústria ligeira e pesada, telecomunicações, electrónica, processamento alimentar, serviços, transporte, agricultura, mineração, serviços financeiros, banca, seguros, restauração, saúde, imobiliárias, entre outros.

A edição de 2017 realizou-se no final de Julho, na Baía de Luanda e juntou cerca de uma centena de empresas.

Em 2016, a crise levou mesmo ao cancelamento do evento, que em anos anteriores, nas suas habituais instalações, localizadas no município do Cazenga, chegou a movimentar, enquanto expositores, cerca de mil empresas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.