Para o efeito, a empresa está a realizar investimentos para aumentar a capacidade de captura e produção, assim como a extensão da actividade no domínio da aquicultura.

Ao falar à Angop, no segundo dia de actividade na Feira Internacional de Luanda (FILDA/2018, informou que no decurso deste ano a empresa já exportou cinco mil toneladas, o que permitiu arrecadar cerca de cinco milhões de dólares e até ao final do ano a meta é atingir os USD 20 milhões.

A empresa conta com 80 trabalhadores.

Já o sócio gerente da empresa vocacionada na produção de ração para Tilápia" Produnova", David Rebelo, disse que a produção diária é 5 toneladas/dia pelas dificuldades de aquisição da matéria-primas, que o país não dispõe.

A 34ª edição da FILDA, aberta terça-feira, conta com a participação de 372 expositores de Angola (país Anfitrião), África do Sul, Espanha, Estados Unidos da América, Gana, Holanda, Índia, Itália, Macau, Portugal, Reino Unido, Rússia, Suécia, Turquia, Uruguai, Japão e Moçambique, que estão a expor numa área de aproximada de três hectares.

Pelo menos 69 por cento das empresas expositores desta edição, promovida pelo Ministério da Economia e do Planeamento e o grupo eventos Arena, são nacionais.

Na feira, que decorre na Zona Económica Especial Luanda Bengo (ZEELB), estão em exposição produtos e serviços dos sectores do ambiente, energia e petróleos, agricultura, pecuária, bebidas, banca e seguros, pescas, comércio geral, construção, imobiliária, educação, formação e cultura, hotelaria e turismo, indústria transformadora e extractiva, logística e transportes, máquina e equipamentos, telecomunicações, energia, entre outras.