“Devido à crise que o país enfrenta, estamos apenas com bacalhau, a nossa linha de secos (graúdo, corrente, macaiabo e desfiado) e vinho tinto Pinta Negra. Não temos o bacalhau molhado pois atravessamos grandes problemas na importação por causa das divisas”, explicou Adão Lourenço, responsável comercial.

Disposta a pôr fim a este problema, sendo os produtos provenientes de Portugal, e para acabar com os actuais problemas de importação, a Riberalves pretende apostar no fabrico local, para o bem da própria empresa e dos seus clientes. “Fizemos um teste este ano. Apostámos em trabalhar aqui os produtos, fizemos um programa piloto e conseguimos produzir alguns. Estamos a tentar criar todas as condições para concluirmos o processo”, avançou ainda o responsável.

A marca, que pretende criar relações de confiança com todas as pessoas e redes de supermercados interessadas nos seus produtos, aproveitou ainda o momento para classificar a feira como “uma mais-valia” para quem pretende promover o intercâmbio no mundo dos negócios.