Falando à Angop, a propósito do tema “As feiras sectoriais na economia”, Manuel Domingos afirmou que as empresas ao exporem os seus produtos automaticamente estão a atrair clientes e potenciais interessados em estabelecer parcerias de negócios.

“É um espaço importante para os investidores nacionais e internacionais promoverem os seus potenciais serviços e bens no mercado, bem como contribuírem no aumentar do Produto Interno Bruto”, frisou o economista.

Manuel Domingos explicou que as feiras servem também para os expositores mostrarem à sociedade o funcionamento real dos seus sectores, dai a grande importâncias das empresas, privadas e públicas em participar deste s eventos.

“As empresas não devem olhar muito pelos custos de participação das feiras, mas verem a facilidade e oportunidade que estes espaços proporcionam para o desenvolvimento dos seus negócios”, aconselhou o economista.

Esta 31ª Edição da Feira Internacional de Luanda (Filda), que vai decorrer de 22 a 27 de Julho deste ano, com o lema “Os Desafios da Atracção de Investimento – Estratégia, Legislação, Instituições, Infra-estruturas e Recursos Humanos”, vai contar com a participação de mais de 30 países.

A realização do evento, que data desde 1983, visa, entre outros objectivos, a captação de investimentos, promover o desenvolvimento dos sectores sustentáveis no país e contribuir para o estabelecimento de parcerias e a criação de uma indústria transformadora que responde às necessidades de consumo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.