Trata-se de oito mil toneladas de milho, 160 de soja, 100 arroz e outras não especificadas, em fase de experimentação, produzido numa área de mil e 650 hectares, destinada à  comercialização, segundo o porta-voz da fazenda, Simão Nzhori.

“A nossa intenção é tornar a fazenda num grande produtor desta região, com o alargamento dos campos de cultivo e o aumento da produção agrícola para que se possam dar respostas às necessidades locais e do país”, referiu.

No entanto, acrescentou Simão Nzhori, o processo de expansão tem encontrado muitas dificuldades, no que toca a negociação com os proprietários no sentido da sua efectivação.

Na sua opinião, com 10 fazendas com essas dimensões e a produzir cereais, horticulturas, fruticulturas, para além da criação de gado, poder-se-á garantir uma maior segurança alimentar para as famílias desta região e com excedentes para comercializar.

O projecto, que criou 180 postos de trabalho directo, é um investimento de 12 milhões de dólares norte-americanos, que prevê atingir uma área de dois mil e 544 hectares ano e criar mil cabeças de gado, numa altura em que agricultura constitui a maior empregadora das famílias camponesas no país.

No capítulo social, a iniciativa permitiu já a construção de uma escola de 12 salas de aulas e a atribuição de 12 bolsas de estudos para os jovens da aldeia de Satchitemo, bem como prevê a construção de um centro de saúde para assistir as populações das aldeias circunvizinhas, de modos a não percorrerem longas distâncias para terem acesso a assistência médica e medicamentosa.

Com uma extensão territorial de 4. 380 quilómetros quadrados, o município possui uma população estimada em 114 mil e 594 habitantes, distribuídos pelas comunas Sede, Mbave, Samboto e Sambo, sendo maioritariamente camponeses.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.