Segundo o responsável municipal da Estação de Desenvolvimento Agrário (EDA), Manuel Mateus, em declarações à Angop, hoje, no Dondo, a falta de equipamentos agrícolas obriga os camponeses a preparar as terras manualmente, facto que condiciona o aumento da produção na região.

Segundo o responsável, serão preparados 424 hectares de terra na terceira época, que ocorre de Maio a Agosto, com o envolvimento de 757 famílias, provavelmente de forma manual, por falta de meios mecanizados.

Em um encontro entre o director dos assuntos económicos da Administração Municipal, Xavier Andrade Lourenço, e os agricultores locais, para a análise da época agrícola, os participantes manifestaram-se insatisfeitos com a falta de apoios do governo, sobretudo, em meios de mecanização.

“Nunca tivemos um tractor, por isso temos feito um grande esforço para produzir alguma coisa. Com um destes meios as coisas seriam diferentes e poderíamos aumentar os níveis de produção”, sustentou o agricultor Manuel Jorge.

Disse ainda não entender as razões da falta de máquinas para apoiar os camponeses, uma vez que o município beneficiou do governo do Cuanza Norte, em Novembro de 2019, de cinco tractores e respectivas alfaias, para apoiar o sector agrícola, mas que continuam parqueadas sem explicações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.