Ao fazer o balanço da exposição aberta quarta-feira, Ivan do Prado apontou a auto suficiência alimentar, através da industrialização, como prioridade do Ministério da Indústria.

A exposição congregou mais de 300 expositores e mais de 18 mil visitantes, superando os números da edição transacta, que teve 200 expositores e 15 mil feirantes.

Segundo a organização, os quatros dias de trabalho foram positivos pelo facto dos empresários terem estabelecido parcerias e vendas.

A propósito da exposição, o presidente da Associação Industrial de Angola (AIA), José Severino, enalteceu a iniciativa, tendo justificado haver melhoria em relação às edições anteriores, em termos de organização, participação e de visitas.

Aberta quarta-feira pelo Presidente da República, João Lourenço, a feira foi uma organização do Ministério da Indústria e da Arena Eventos e contou com empresas nacionais dos sectores de produção de cereais, carnes, algodão, tabaco, açúcar, cerveja, cimento, madeira e mobiliário.

Acolheu também empresas dos sectores de refinação de petróleo, pneus, fertilizantes, celulose, vidro, aço, sabão, sal, enchidos, lacticínios, sumos, refrigerantes, água mineral, tintas e vernizes, papel, cartão, plástico, varões de aço e material de construção civil.

Participam no evento empresas das províncias do Bengo, Benguela, Namibe, Huíla e Cuando Cubango.

O encerramento desta edição ficou marcado pela entrega de certificados de participação aos mais de 300 expositores nacionais.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.