De 701 candidaturas, 23 “startups” com soluções diferentes chegaram à final e cinco serão seleccionadas como vencedoras, recebendo, cada uma, o prémio equivalente a USD 10 mil, num total de USD 50 mil.

Segundo Eliette Mendes, coordenadora de Programas de Empreendedorismo da Embaixada dos EUA, o projecto foi criado em 2018 para apoiar o ecossistema das startups  em Angola.

“É o culminar de uma série de esforços desenvolvidos desde 2016, com vista a fortalecer as startups locais e auxiliar o governo angolano na diversificação da economia por meio da criação de um empresariado forte e competente”, reforçou a responsável.

Conforme Eliette Mendes, enquadra-se na visão dos EUA para África e para Angola, em particular, visto como um parceiro estratégico e com grandes possibilidades para ampliar as trocas comerciais.

Informou que os participantes passaram por um longo período de formação, com itens relacionados com a formatação de uma ideia e a estruturação de um negócio.

Relativamente aos valores dos prémios, avançou que servirão para os contemplados alavancar os seus negócios.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.