O técnico da Administração Geral Tributário, que falava sobre “ Preços e transferências”, num encontro designado “Master Class – imposto”, promovido pela embaixada da Holanda em Angola, considerou preocupante porque desrespeitam os pressupostos legais.

Para pôr fim a esta situação, a Administração Geral Tributário (AGT), “mediante as suas direcções, procura ajustar, neste momento, os mecanismos com vista a melhorar o sistema tributário angolano”.

No mesmo fórum, Jozeline Baldé, do departamento de fiscalização da AGT, falou sobre “Impostos, suas característica e tributação, e explicou que quanto à execução em Angola, as direcções de serviços fiscais, através das repartições, têm fiscalizado o exercício económico de cada contribuinte, no sentido de aferir se estes têm pago os impostos a que estão obrigados.

A técnica apontou uma preocupação relativa a pouca adesão dos contribuintes e  aproveitou o momento para apelá-los à regularização das dívidas.

O evento, que reuniu especialistas em tributação e empresários de diversos ramos, analisou a questão do regime de imposto em Angola, incidindo sobre importantes assuntos relacionados com os “Preços e transferências e a Tramitação Processual nas Execuções Fiscais”.

O fórum realizado hoje, enquadra-se no projecto “Orange Corners” da embaixada da Holanda em Angola. Na óptica da organização, o objectivo foi cumprido, uma vez que se pretende fomentar o empreendedorismo no País, visando dinamizar a economia, contribuindo para o estabelecimento de um ecossistema empresarial mais robusto.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.