Os empresários apresentaram este interesse durante um encontro de auscultação promovido pelo Conselho Provincial da Juventude da província do Cunene, com objectivo de identificar os principais problemas dos jovens empresários da região.

Segundo o coordenador da comissão de gestão da  Câmara de Comércio e Indústria da província do  Cunene, Egino Pintar, a AGT tem um sistema de comunicação com os empresários ineficiente, o que dificulta o cumprimento das obrigações fiscais por parte da classe empresarial local.

Sugeriu aos agentes da AGT a primarem mais pela pedagogia, explicando a importância da cobrança dos impostos, como e quando quitar as dívidas para evitar aplicação de multas, que pode prejudicar o rendimento do negócio ou mesmo levar a empresa à falência.

“Os agentes da AGT apenas aparecem para aplicar multas, sendo que muitas destas multas os empresários desconhecem por falta de informação”, acrescentou.

Já o  secretário do Conselho Provincial da Juventude do Cunene,  Marcelino dos Santos, disse que  o encontro foi realizado com objectivo de se ouvir as inquietações dos jovens empresários relacionados com o tratamento que têm recebido  da AGT.

Marcelino dos Santos fez saber que, nos próximos dias, o Conselho Provincial da Juventude  vai reunir com AGT para para apresentar as preocupações da classe empresarial local e encontrar soluções para facilitar e melhorar o trabalho dos dois órgãos.

A Câmara de Comércio e Indústria da província do Cunene controla 100 empresários ligados ao sector agro-pecuário, construção civil, prestação de serviços, entre outras áreas da actividade económica.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.