A Federação da Indústria Alemã (BDI) referiu-se ao estado das negociações entre a União Europeia (UE) e o Reino Unido e às consequências da saída deste país do grupo comunitário num relatório de avaliação da situação.

O presidente da BDI, Joachim Lang, também advertiu que “é uma oportunidade desperdiçada que o Reino Unido tenha perdido a opção de prolongar o período de transição”.

Acrescentou que “os parceiros de negociação de ambos os lados do Canal precisam agora urgentemente de utilizar o tempo até ao final do ano para alcançarem um acordo de comércio livre abrangente”.

Segundo a BDI, o futuro acordo entre a UE e o Reino Unido “deveria ser mais profundo do que os tradicionais acordos de comércio livre da UE com outros países”.

Os empresários alemães acrescentam que “é importante que as já elevadas barreiras comerciais sejam limitadas por regras de origem simples e harmonizadas. Regras simples simplificariam significativamente o comércio, em particular para empresas de média dimensão, e reduziriam também significativamente a burocracia”.

O objetivo, diz a BDI, é “simplificar o mais possível os procedimentos aduaneiros. Esta é a única forma de mitigar os enormes custos da rutura económica com o Reino Unido. Tanto as empresas como as autoridades aduaneiras beneficiam dos aspetos práticos do seu tratamento.

A BDI conclui a avaliação afirmando que “uma saída do Reino Unido da UE sem um acordo seria o pior resultado para todas as partes”.

“Se Londres não fizer progressos em questões-chave, as empresas britânicas enfrentarão também um grave revés. A União Europeia tem 27 Estados no mercado único, e o Reino Unido perderia o seu acesso privilegiado”, concluiu a BDI.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.