Com a introdução dessa aplicação DHL Africa e Shop (https://www.Africa-eShop.DHL/) em Abril último, a empresa número um no mundo em termos de prestação de serviços de logística registou o crescimento no número de utilizadores e das vendas online.

Nos primeiros três meses de funcionamento, a aplicação tinha já sido implementada em 20 países na África Subsariana.

Hennie Heymans, CEO da DHL Express África Subsariana, afirma que o aumento de utilizadores na aplicação DHL África e Shop ao longo dos últimos cinco meses tem sido impressionante, não apenas no número de transferências mas, mais importante, em termos de encomendas.

“É por isso que anunciamos com satisfação o lançamento da DHL África e Shop em Angola, Benim, Burquina Faso, Burundi, Chade, Etiópia, Guiné, Lesoto, Libéria, Mali, Namíbia, Níger, Sudão e Togo”, lê-se na nota a que a Angop teve hoje (quinta-feira) acesso.

"A DHL definiu uma estratégia faseada na implementação da plataforma no continente africano, com um lançamento inicial em 11 países para testar a reacção dos mercados. Nas primeiras sete semanas, a resposta do mercado de consumidores foi tão boa que iniciámos a segunda fase, com mais 9 países na lista”, referiu.

A aplicação e Shop DHL África oferece aos consumidores africanos um acesso sem igual a vendedores internacionais numa plataforma fácil de utilizar, muito rápida e cómoda. Também permite a muitas marcas globais ligarem-se a um mercado africano cativo. A DHL Africa e Shop permite que clientes africanos comprem directamente a mais de 200 lojas online com sede nos EUA e no Reino Unido.

As compras são entregues à porta dos clientes pela DHL Express. Esta solução foi desenvolvida em parceria com a Link Commerce, que faz parte da Mall for África.

Acrescenta que, apesar de o mercado de comércio electrónico ainda estar atrás do resto do mundo em termos de volume de negócio anual, é bastante provável que ganhe muito terreno nos próximos tempos. "Um relatório da Statista demonstra que o comércio electrónico em África valorizou 16,5 mil milhões de dólares em 2017.

A McKinsey corrobora com este cálculo, prevendo que este valor possa chegar aos 75 mil milhões de dólares até 2025."

Como líder global em logística expressa, a DHL está numa posição privilegiada para ligar consumidores africanos a estas grandes marcas globais. "Estamos empenhados em aumentar o crescimento do comércio electrónico no continente para as lojas, as quais procuram promover as suas marcas em mercados tradicionais, e também para consumidores, que pretendem ter um acesso fácil a marcas globais", conclui Heymans.

A DHL é a empresa número um no mundo em logística, tendo um vasto portefólio sem paralelo de serviços de logística, incluindo entrega de encomendas nacional e internacional, soluções de expedição e execução de comércio electrónico, transporte terrestre, aéreo e marítimo para gestão de cadeias de abastecimento industriais.

Com cerca de 380 mil colaboradores em mais de 220 países e territórios no mundo, a DHL liga pessoas e empresas de forma segura e com confiança, o que possibilita rotas de comércio globais.

Com soluções especializadas para mercados em crescimento e indústrias como as tecnologias, ciências biológicas e saúde, energia, sector automóvel e venda ao público, a DHL faz parte do Deutsche Post DHL Group e em 2018 o grupo teve receitas acima dos 61 mil milhões de euros.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.