Os dados, disponibilizados hoje à agência Lusa pela empresa, referem que no primeiro semestre de 2019, o Porto de Luanda registou uma produção geral – carga contentorizada, fracionada, a granel líquida e sólida - de 3.668.865,13 toneladas, enquanto no mesmo período deste ano, a produção atingiu as 3.036.048,05 toneladas.

“Isto significa que, em termos comparativos, verificámos um decréscimo de 632.817,08 toneladas, correspondente a 17%”, refere a informação.

De acordo com a empresa, a produtividade portuária começou a baixar em janeiro, mas superou, em fevereiro de 2020, o nível alcançado no ano anterior, fruto do crescimento económico de 4% que o país conseguiu na altura.

“Admitindo, razoavelmente, que este resultado pudesse significar o ponto de arranque, isto é, que daí em diante a trajetória da economia nacional seria ascendente, era, pois, de todo expectável que a produtividade da nossa empresa, no primeiro semestre deste ano, seguiria a mesma direção, deixando para trás os números atingidos em 2019”, refere a empresa.

Esta expetativa ficou afetada pelo registo da pandemia do novo coronavírus, a nível global e interno, que impôs uma baixa nas importações e exportações dos diversos produtos que regularmente demandam o Porto de Luanda.

A queda na produção portuária foi mais acentuada nos meses entre abril e junho, altura em que se registou uma quebra de 40% (-280.676,77) e 24% (-153.775,80), respetivamente.

Em 2019, a produção geral do Porto de Luanda, empresa pública, atingiu as 7.141.646,67 toneladas, 60.653,79 (1%) toneladas a mais que 2018.

Angola tem 1.109 infetados com a covid-19 e 51 mortos.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 673 mil mortos e infetou mais de 17,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.