Trata-se das cooperativas Agostinho Neto e 1º de Maio, que prevêem lavrar 70 e 480 hectares respectivamente.

A iniciativa é do Governo que visa potenciar e alavancar a produção agrícola.

As duas cooperativas são da comuna do Condê, município do Ebo e contam com 259 membros.

Na ocasião, a vice governadora provincial para o sector Politico, Económico e Social, Emília Tchinawalili, referiu que a entrega dos meios está inserida no programa de combate à fome e a pobreza.

Para o director do Instituto de Reintegração dos Ex Militares (IRSEM), Francisco Domingos, os meios vão reforçar a actividade agrícola das cooperativas.

Disse que se pretende com esta acção a reintegração dos ex-militares no sentido de serem autónomos.

Por seu turno, os ex-militares saudaram a iniciativa do Governo e prometem rentabilizar os meios, diversificar a produção e proporcionar rendimentos sustentáveis para os associados e sua comunidade de forma geral.

No Cuanza-Sul, o programa de reintegração dos ex-militares já beneficiou mais cinco mil ex-militares, nos municípios de Cassongue, Quibala, Mussende, Libolo, Seles, Ebo, Porto-Amboim e Cela.

O sector da Agricultura no Ebo prevê uma colheita de 600 toneladas de produtos diversos, contra as 430 toneladas da época anterior.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.