Em declarações à Angop, referiram que muitas vezes esses produtos podem estar danificados ou com prazos vencidos e a falta de legenda dificulta a compreensão do cliente.

Segundo a estudante Eliana Carrenda, muitas vezes os produtos comprados em algumas lojas da capital vêm sem uma legenda clara e os próprios comerciantes não conseguem dizer o que é e como se pode usar.

"Os comerciantes angolanos muitas vezes vendem alguns produtos e nem eles mesmos sabem do que se trata. Devem ser mais claros e sinceros com os consumidores, porque é a imagem deles que fica manchada perante os consumidores",disse.

O também estudante Emerson Cruz disse que os comerciantes deviam ser mais pacientes com os consumidores e vice-versa, porque existe muita gente que não sabe e nem consegue trabalhar com o público.

"Existem comerciantes que não sabem atender as pessoas e muitas vezes nem conseguem dar uma informação clara sobre o produto ou qualquer outra coisa, os nossos direitos são violados todos os dias. O INADEC devia ver esses casos, principalmente quando se compra algo e eles não aceitam fazer a troca, mesmo dentro do prazo", desabafou.

Por sua vez, Ana Emaculada garantiu que muitos dos consumidores não sabem aonde fazer as suas denúncias e deixam as coisas da mesma forma.

"Os comerciantes agem de ma fé com os consumidores, porque sabem que muitos não conhecem que existe uma lei que os protege. Se todos denunciassem os maus tratos e a não reposição de um produto danificado ou defeituoso, eles já teriam parado com os maus tratos aos consumidores e esse quadro já teria mudado há muito tempo”, disse.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.