“Desde que tomou posse, João Lourenço agiu com notável rapidez e empenho para consolidar a sua autoridade”, escrevem os analistas da consultora.

A análise dá conta de uma melhoria da perspetiva de recompensa para os investidores, que, segundo o texto, passou de 3,7 para 4,8 pontos, de 2017 para 2018, ao passo que o nível de risco diminuiu de 6,8 para 6,2 pontos no mesmo período.

A Control Risks destaca que a subida dos preços do petróleo este ano vai fazer as exportações subirem 48,8%, para 41,6 mil milhões de dólares, o que, segundo o estudo, “melhora a perspetiva geral da economia angolana”.

A consultora salienta, também, que a decisão de deixar o kwanza flutuar face ao dólar e a descida da inflação são desenvolvimentos internos positivos. Entretanto, o estudo admitiu que a desvalorização cambial poderá causar algumas dificuldades ao Governo.

A situação geral que Angola vive, prognostica a Control Risks, deverá ajudar a que o PIB cresça 2,1%, este ano, e 2,8%, em 2019 e 2020, quando, no ano passado, ficou-se pelos 0,7%.

A Control Risks é uma empresa de consultoria global, especializada em riscos políticos, de segurança e de integridade, que habilita os seus clientes para entender e administrar os riscos de operar em ambientes complexos e adversos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.