Além deste ramal, dois outro estão a ser construídos com o mesmo objectivo nas localidades do Lucala (Cuanza Norte) e outro na província de Malanje, com vista a facilitar o enchimento dos vagões cisternas e também diminuir os custos operacionais das empresas, em relação a actual modalidade em que são usados camiões com tanques para o enchimento dos vagões.

Em declarações hoje (quinta-feira) à Angop, em Luanda, o director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do CFL, Augusto Osório, explicou que, além destes trabalhos de construção de novas linhas, estão ainda a recuperar, de forma faseada, 20 carruagens de passageiros de origem sul-africana, para os itinerários Luanda/Catete, Dondo/Luanda e Malanje/Luanda.

Com a reparação destes meios, prosseguiu o responsável, a empresa vai aumentar a capacidade de transportação de passageiros nos serviços suburbanos de seis mil para dez mil diários, com o incremento de mais comboios, passando de 17 para 22 dia.

A conclusão da construção do ramal da Boavista/Musseque está prevista para finais deste mês e orçada em 68 milhões de kwanzas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.