A responsável falava na cerimónia que marcou a passagem de pasta ao novo director do Instituto Nacional da Habitação (INH), Silva Neto, que substitui no mesmo cargo Adérito Mohamed.

Na ocasião, Ana Paula de Carvalho disse que a centralidade está praticamente concluída e vai juntar-se aos esforços do Ministério da Energia e Águas para acompanhamento das questões da energia eléctrica, da Estação de Tratamento de Água (ETA), bem como a situação das escolas, dos jardim-de-infância e dos centros saúde com o governo provincial do Huambo.

Disse que as escolas, creches e centros de saúde já estão apetrechadas, tendo a necessidade de se começar para breve o processo de comercialização das residências.

Explicou que a demora na entrega das moradias em algumas centralidades deve-se a falta de condições preparadas. Muitas delas estão a concluir-se algumas infra-estruturas de apoio, factor que tem contribuído na invasão das casas por desconhecidos.

A centralidade da Caála conta com habitações do tipo T3, entre as quais dois mil e 832 apartamentos, 808 casas do tipo duplex, 361 moradias térreas e 240 casas comerciais.

Constam ainda três centros infantis, dois jardins-de-infância, três escolas primárias, duas do ensino secundário, um instituto de formação técnico-profissional, um centro de saúde e um complexo desportivo.

A província do Huambo conta igualmente com as centralidades do Lossambo, inaugurada em 2017, nos arredores da cidade do Huambo, com 2009 residências, e a do Bailundo, em fase de acabamento, com três mil casas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.