No encontro, orientado pela governadora do Huambo, Joana Lina, os líderes de associações de camponeses disseram que este factor tem impedido o escoamento dos produtos do campo para as áreas de comercialização, acabando-se por deteriorar-se nos locais de produção.

Solicitaram também o enquadramento de técnicos agro-pecuários nas comunidades rurais, para prestação do apoio técnico às famílias camponesas.

A promoção de acções de formação e capacitação dos membros das comunidades rurais, para melhor responderem aos desafios actuais voltados a agricultura e pecuária, foi igualmente advogado.

“ Assim, será possível efectuar a correcção de solos em todas as comunidades, combater a tempo oportuno às pragas que acfectam anualmente às aculturas e, sobretudo, incrementar os níveis de produção, com vista a subsistência das famílias e a garantia da segurança alimentar no país, em particular nesta região”, acrescentaram.

Os agricultores entendem também ser necessário a prestação de assistência técnica as explorações agrícolas empresariais, assim como a desburocratização do processo de concessão do credito agrícola, subvenção dos fármacos veterinários, tal como acontece com os fertilizantes, evitando, assim a morte de muitos animais, por falta de medicamentos.

Quanto à problemática de direito de superfície, sugeriram ao governo a viabilização dos processos de titularidades de terras, em prol da segurança dos agricultores.

Por sua vez, a governadora provincial do Huambo, Joana Lina, disse que a resolução destes problemas passa pela conjugação de esforços de todos os intervenientes, visando  a organização da cadeia agrícola, desde a produção, distribuição e comercialização.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.