Em declarações Angop, o director do Gabinete Provincial da Agricultura, Nelson Senguitale, precisou que seguiram para o Bié 15 camponeses do município de Saurimo, quatro do Dala, um do Muconda e um de Cacolo.

Fez saber que trata-se de uma iniciativa do Governo Provincial da Lunda Sul, visto que o Bié é uma região com vasta experiência e resultados positivos no sector agro-pecuário.

Explicou que os camponeses vão participar em sessões práticas sobre o preparo do solo para cultivo de hortaliças, cerais e outras culturas, o uso de adubos orgânicos, fertilizantes e defensivos naturais, para o combate de pragas nas plantações.

Por seu turno, o governador provincial da Lunda Sul, Daniel Neto, lembrou que a região já foi potência na produção do arroz e espera que esta troca de experiência ajuda a retomar em grande escala a produção deste cereal.

A província da Lunda Sul, destacou, é rica em recursos hídricos e reúne condições ideais para o cultivo de mandioca, arroz, milho, batata rena, batata-doce, ananás, banana, manga e hortícolas.

Constam das culturas agrícolas mais plantadas na região, a abóbora, milho, feijão, banana pão e de mesa, cana-de-açúcar, amendoim, limão, laranja, tomate, cebola, cenoura e pimenta.

O Gabinete província da Agricultura, Pecuária e Pescas na Lunda Sul controla 124 mil 994 famílias camponesas, que cultivam em média 0.5 a 1.5 hectares, dos quais cerca de 80% serve para produção de mandioca.

Para presente campanha agrícola vários hectares de terra para o cultivo de tubérculos, cereais, hortícolas, entre outros produtos, envolvendo 68 mil 978 famílias.

Para o êxito da campanha, o Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA) disponibilizou 40 toneladas de adubos compostos, 13 de ureia, 14 de sulfato de amónio, cinco mil enxadas, duas mil e 901 catanas e mil machados.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.