Trata-se de mais um meio de pagamento que o BPC oferece e que está já a ter a adesão considerável de novos clientes.
O seu lançamento obedeceu a uma estratégia de marketing, que teve em conta o contexto económico, consubstanciado pelo ambiente de negócios, proporcionado pela FILDA ao reunir no seu espaço 805 expositores de 41 países da África, Ásia, Europa e América.

Com a oferta deste novo produto aos seus clientes, a preocupação do BPC é garantir a “melhoria da prestação de serviço e modernização dos seus processos internos, para melhor se adaptar a dinâmica do mercado e as exigências dos seus clientes”.
Segundo a administradora da instituição para a área de serviços electrónicos, Fátima Silveira, “o BPC é um banco eminentemente virado para os particulares e o novo cartão vai ajudar bastante, porque muitos dos nossos clientes procuram moeda estrangeira para levarem consigo durante as viagens que realizam no estrangeiro”.

O “Gingongo”, de acordo com a responsável, entra em circulação em Agosto, são emitidos e geridos pelo BPC, como meios de pagamento pertencentes à Rede Visa e para aderir basta ao cliente apenas cumprir as regras definidas pelo órgão regulador, o Banco Nacional de Angola (BNA).

Fátima silveira referiu, por ultimo, que o BPC, para além de proceder ao lançamento do cartão pré-pago “Gingongo”, aproveitou a sua participação na Filda para publicitar todos os serviços postos à disposição dos clientes, emitir cartões multicaixas não personalizados, actualizar contas e proceder a consultas de saldos e abertura de contas”.

 A Filda é um evento multissectorial de exposição e negócios que junta anualmente, desde 1983, empreendedores nacionais, de outros países africanos da América, Europa e Ásia para exporem produtos e serviços, assim como contactos de parcerias.

Este ano participaram pela primeira vez o Zimbabwe, Quénia, República Checa e o Vietname, e decorreu sob o lema “Os desafios da atracção de investimentos: Estratégicos, infra-estruturas e recursos humanos”.
E teve como principal objectivo a captação de investimentos nacionais e estrangeiros de modo a potenciar o mercado angolano com bens e serviços, introduzindo, cada vez mais, novos produtos e serviços e promover o desenvolvimento sustentável de Angola.

A FILDA foi aberta dia 22 de Julho pelo ministro da Economia, Abrahão Gourgel, na presença de convidados como o vice-primeiro-ministro de Portugal, Paulo Portas, e o titular da pasta do Turismo, Energia e Indústria da República de Cabo Verde, Umberto Brito.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.