Enquanto isso, o Banco BIC disponibilizou 4,9 mil milhões de kwanzas no quadro do Programa de Apoio ao Crédito (PAC), o mecanismo de financiamento do PRODESI.

O facto foi dado a conhecer hoje (segunda-feira), em Saurimo, província da Lunda Sul, durante o acto de apresentação do projecto pela banca comercial local.

Os empresários e agentes económicos locais foram informados sobre os montantes disponíveis nos bancos comerciais, os requisito de adesão ao Projecto de Apoio ao Crédito (PAC), bem como dos objectivos do PRODESI.

Na ocasião, os operadores económicos manifestaram-se preocupados com o excesso de burocracia imposto pelos bancos para o acesso ao crédito, como um dos factores que tem estado a dificultar a actividade dos produtores agrícolas e comerciantes da província.

Sublinharam ser muito exigente os requisitos necessários para aderir ao PAC, o que poderá criar muitas dificuldades na constituição dos processos, devido a falta de muitos serviços no interior da província, pois que, alguns municípios não dispõem de repartições fiscais (AGT).

Por seu turno, o governador em exercício da Lunda Sul, Izildo Paulo, disse que com a implementação do PAC, o Estado Angolano vai garantir um ambiente favorável para a produção nacional aumentar a sua quota no mercado, face a importação, sobretudo para os bens da cesta básica de consumo quotidiano, por via da regulamentação e legislação.

O responsável solicitou maior organização à classe empresarial e produtores locais, bem como a sua aderência ao Programa de Apoio ao Crédito (PAC), com vista a aumentar a produção nacional e reduzir as importações.

Aprovado em Março deste ano pela Comissão Económica do Conselho de Ministros, o Programa de Apoio ao Crédito (PAC) é um instrumento que visa facilitar o acesso ao crédito para os produtores que se dedicam à produção dos 54 produtos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.