Em comunicado, a sociedade detida pelo Estado angolano focada na aquisição de crédito malparado do BPC, informa que, em finais de 2017, deu início a um longo processo de negociação com as empresas que se encontravam na condição de devedoras do BPC.

“Nesse período, foram reconstituídos os processos de crédito e assinados a 20 de Junho de 2019, os Acordos de Reconhecimento de Dívida (ARD) com os Grupos Chicoil, ABC e STI”, indica a nota.

Face ao processo de negociação, decorrido entre a Administração Geral Tributária e o Grupo Técnico de Apoio ao Credor do Estado, “resultou o primeiro pagamento de amortização da dívida, no valor de 1,5 mil milhões de kwanzas, por parte de um dos grupos anteriormente mencionados”.

Para a RECREDIT – Gestão de Activos, “este é um passo determinante e que marca o início de um novo ciclo, pautado pela determinação de cumprir com o objectivo de maximizar a recuperação”, privilegiando a negociação directa com os clientes sobre os termos das amortizações das dívidas.

O órgão, que gere também os activos provenientes da aquisição da carteira de crédito, colocando-os no mercado sempre que se considerar vantajoso de acordo com o seu negócio, manifesta-se disponível para negociar com todos os devedores, “sempre e desde que os mesmos se mostrem genuinamente interessados em assumir as suas responsabilidades”.

“A RECREDIT manter-se-á focada em desenvolver soluções de recuperação extrajudiciais, não descartando a possibilidade de em situações de necessidade, poder recorrer a outras medidas legalmente previstas”, salienta o documento.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.