De acordo com um comunicado enviado ao SAPO, a posição relativa entre os cinco maiores bancos a operar em Angola, o BAI lidera desde o ano passado, com um activo total de 2.641 milmilhões de Kwanzas, seguido pelo BFA, BPC, BIC e ATLANTICO. Os cinco maiores bancos representaram cerca de 72,4% do total do activo do sector bancário e o seu activo registou um aumento de cerca de 23% face ao ano anterior.

“O ano de 2019 foi marcado por três eventos muito relevantes para o sector bancário: a realização do exercício de Avaliação da Qualidade dos Activos (AQA); a implementação do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) no sistema financeiro e a liberalização do mercado cambial”, salienta José Barata, Presidente da Deloitte Angola.

José Barata acrescenta ainda que “os principais indicadores do sector bancário apresentaram tendências distintas em 2019. Por um lado,registrou-se um aumento global do total dos activos e dos capitais próprios dos bancos e, por outro, houve uma diminuição do crédito líquido concedido a clientes, do produto bancário e dos resultados líquidos dos bancos em relação a 2018”.

José Barata

O total de crédito líquido a clientes registrou uma diminuição acentuada em relação ao ano anterior. Considerando os bancos analisados, o total de crédito líquido ascendeu a 2.648 mil milhões de Kwanzas1, o que corresponde a uma redução de 10% face ao ano de 2018, com o BIC, o BAI, o ATLANTICO, o BFA e o Banco SOL a liderarem na concessão de crédito. No que se refere ao rácio de crédito vencido, e de acordo com as demonstrações financeiras em análise, registrou-se um aumento para os 38,2%, em 2019, sendo que em 2018 este rácio foi de aproximadamente 33,1%. Importa salientar que este rácio é muito impactado pelo BPC e caso este banco não fosse considerado observar-se-ia um rácio de crédito vencido de 17,4% e de 14,6% em 2018 e 2019, respectivamente.

De acordo a 14ª edição da Banca em Análise da Deloitte, em 2019 o valor total dos depósitos de clientes no sector bancário foi de 9.796 mil milhões de Kwanzas, o que representa um crescimento de 25% face a 2018. O BAI continua a ser o banco com maior volume de depósitos captados, seguido pelo BFA, BPC, ATLANTICO e BIC.

Outros resultados relevantes da 14ª edição do Banca em Análise:

Meios eletrônicos de pagamento mantêm tendência crescente- O número de Cartões Multicaixa válidos (ou activados)2aumentou para 5,7 milhões em 2019, face aos 5,4 milhões em 2018, enquanto o total de Cartões Multicaixa3aumentaram para 7,1 milhões, em 2019, face aos 6,4 milhões em 2018.

Rede de terminais de pagamentoscontinua a aumentar- O número de Caixas Automáticas (ATM) e Terminais de Pagamento Automático (TPA) registrou um crescimento de 0,7% e 19%, respectivamente. O número de ATM aumentou de forma residual de 3.098, em 2018 para 3.120 em 2019, e o número de TPA fixou-se em 115.206 terminais em 2019 face a 96.754 em 2018.

Número de transacções ultrapassa 2018 e atinge novo recorde - Em 2019, o número de transacções registrou um crescimento global de 28%, face a 2018, tendo as transacções realizadas em ATM aumentado 20%e as transacções efectuadas em TPA cerca de 25%.

De referir que o estudo da 14ª Edição do Banca em Análise será disponibilizado na íntegra brevemente no site da Deloitte.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.