Pelo Ministério das Finanças assinou a titular da pasta, Vera Daves, enquanto pelo BAD rubricou o seu representante residente, Joseph Ribeiro.

Na cerimónia, a ministra das Finanças explicou que o referido donativo visa implementar um programa de alimentação terapêutica para mais de cinco mil crianças com idades compreendidas entre os seis meses aos 5 anos, nos municípios de Cuito e Nharea.

Vera Daves frisou que, em Agosto de 2018, o Gabinete de Segurança Alimentar, juntamente com o grupo técnico multissectorial, com o apoio da SADC, Word Vision e a Agência das Nações Unidas realizaram uma avaliação de vulnerabilidade, segurança alimentar e nutricional em alguns municípios das províncias do Bié, Benguela, Huíla, Namibe e Cunene.

Da avaliação, constatou-se que a desnutrição já afecta 15 por cento da população local, daí que tal valor servirá para mitigar ou amenizar tal situação.

Segundo a governante, subsiste a preocupação de que esta situação possa piorar nos próximos meses, quando as reservas alimentares das famílias forem ainda menores, havendo mesmo o risco de se esgotarem, o que justifica uma intervenção com urgência de modo a evitar um agravamento da situação.

Neste sentido, o governo de Angola solicitou o acesso ao fundo de emergência do Banco Africano de Desenvolvimento, para dar resposta à crise de segurança alimentar no Bié.

Salientou que a má nutrição tem consequências graves não só no desenvolvimento físico mental, mas também um impacto social e económico negativo no presente, pois deixa sequelas que comprometem a capacidade das futuras gerações de exercerem um papel activo e produtivo para o desenvolvimento local e nacional, daí a necessidade de intervenção urgente.

Na ocasião, o representante residente do Banco Africano de Desenvolvimento, Joseph Ribeiro, manifestou o seu apreço pelo envolvimento crescente do governo no acompanhamento das acções financiadas pelo Banco.

Mostrou-se disponível para prestar apoio necessário para a identificação conjunta de soluções para eventuais desafios que possam surgir na implementação desta operação de emergência, bem como dos projectos de investimento em curso.

Testemunharam cerimónia, a ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta e outras entidades.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.