O director provincial da Agricultura e Florestas, Walter Demba, orientou a cerimónia, e esclareceu que a iniciativa insere-se no programa do governo do Cuanza Norte que visa a melhoria da dieta alimentar e da condição económica das famílias abrangidas.

Explicou que para a distribuição dos pintos, as famílias abrangidas são obrigadas, primeiramente, a construir galinheiros com as condições mínimas para a sobrevivência das aves e rentabilização do projecto.

Disse que a localidade da Quirima do Hola, a 15 quilómetros de Ndalatando (sede provincial) é primeira aldeia contemplada, devendo o projecto ser extensivo a demais circunscrições, de modo a abranger um maior número de famílias desde que tenham criadas as mínimas condições de alojamento e alimentação das aves.

Apesar das dificuldades da aquisição da ração, Walter Demba disse que as populações beneficiárias já contam com alternativas para alimentação dos pintos, por via da criação de alimento elaborado à base de casca seca de mandioca triturada e misturada com farelo de bombó e milho.

Visando o reforço e fomento da produção avícola, referiu, o governo do Cuanza Norte está empenhado na mobilização e apoio técnico aos camponeses para o reforço da produção do milho e massambala, considerados componentes essenciais para a produção de ração avícola.

Walter Demba esclareceu ainda que os pintos são distribuídos aos cidadãos de forma grátis, como política de apoio às famílias vulneráveis que deverão apostar no fomento da produção para a alimentação própria, comercialização de ovos e carne.

Por seu turno, os populares beneficiados e contemplados com 24 à 50 pintos por família, agradeceram a iniciativa do governo e se comprometeram a reforçar o cuidado das aves para que as mesmas possam crescer na plenitude visando a produção de ovos e carne para o sustento doméstico.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.