O índice mensal dos gestores de compras divulgado pelo Gabinete Nacional de Estatísticas da China subiu para 51,1 pontos, depois de se ter fixado nos 50,9 pontos, em junho.

Uma leitura acima dos 50 pontos indica crescimento da atividade do setor, enquanto uma leitura abaixo indica contração.

A economia da China contraiu 6,8%, no primeiro trimestre de 2020, devido à epidemia da covid-19, que levou ao encerramento de fábricas e estabelecimentos comerciais e restrições na movimentação de centenas de milhões de pessoas.

Os dados divulgados pelo GNE revelam uma recuperação, uma vez que o indicador expandiu pelo quinto mês consecutivo, após a queda de fevereiro, quando o PMI contraiu 35,7 pontos.

O país onde a pandemia do novo coronavírus começou, em dezembro, foi também o primeiro a repor a normalidade, a partir de março, depois de o Partido Comunista Chinês ter declarado vitória sobre a doença.

A indústria e outras atividades estão a regressar aos níveis anteriores à pandemia, mas a procura externa, no entanto, permanece moderada, à medida que a pandemia do novo coronavírus atingiu os mercados de exportação da China.

Os consumidores chineses, que perderam rendimentos, estão também relutantes em realizar grandes compras.

Três dos cinco subíndices que compõem o PMI fixaram-se acima dos 50 pontos: o índice de produção, com 54 pontos, o de novos pedidos, com 51,7, e o do tempo de entrega necessários pelos fornecedores, com 50,4.

No entanto, o subíndice de emprego, apesar de somar 0,2 pontos, permaneceu nos 49,3 pontos, e o de fornecimento de matérias-primas registou 47,9 pontos.

Nos negócios não relacionados com o setor manufatureiro, o índice fixou-se nos 54,2 pontos, após ascender aos 54,4 pontos, em junho passado.

O setor dos serviços, que representa mais da metade do Produto Interno Bruto (PIB) do país, atingiu os 53,1 pontos, em julho, depois de se ter fixado nos 53,4 pontos, em junho.

Quanto ao índice de expetativa da atividade económica, que mede a confiança das empresas não manufatureiras no desenvolvimento do mercado, cresceu 1,9 ponto, para 62,2.

O índice abrangente de produção do PMI, que combina as indústrias manufatureira e não manufatureira, fixou-se nos 54,1 pontos, em julho, depois de ter ascendido aos 54,2 pontos em junho.

O estatístico Zhao Qinghe disse em comunicado que “os planos de prevenção e desenvolvimento entraram em vigor e as operações continuaram a melhorar”.

Zhao também destacou a recuperação da atividade produtiva e o aumento progressivo da procura e das expectativas futuras.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.