Num comunicado, Jofre Van-Dúnem Júnior indica que a medida tem "carácter imediato e incondicional", pelo que encerram as representações em Portugal, Brasil, Macau, Espanha, Bélgica, África do Sul, Cuba, China e Estados Unidos.

Van-Dúnem Júnior justifica a medida com a necessidade de se conformar a figura dos então Representantes Comerciais de Angola no Estrangeiro ao decreto presidencial que aprovou o Estatuto Orgânico do Ministério das Relações Exteriores para a categoria de Adido Comercial junto das missões diplomáticas de acolhimento, abrangendo também o pessoal de recrutamento local.

"[A partir de 28 de Fevereiro, as Representações Comerciais deixam de ter despesas de pessoal, sob comuninação de responsabilização do gestor da respectiva representação", lê-se no documento.

"As Representações Comerciais de Angola no Exterior devem adoptar os procedimentos conducentes à cessação de funções nos termos da lei e o concomitante regresso ao país dos funcionários de nomeação central que se encontram até à data em exercício de funções", termina o comunicado de Van-Dúnem Júnior.

O ministro não explicita no comunicado quantos funcionários estão envolvidos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.