Trata-se do primeiro lote de 75 mil cabeças de gado bovino que as autoridades contam receber nos próximos oito anos, segundo o cônsul do Tchad no país, Mahamat Saleh.

De acordo com o director-geral do Instituto dos Serviços de Veterinária do Ministério da Agricultura e Florestas, Ditutala Simão, prevê-se que quatro mil 500 animais daquele Estado cheguem a Angola até ao final deste mês, em quatro carregamentos (navios).

O Governo Angolano estabeleceu um programa que prevê, até 2025, tornar o Planalto de Camabatela auto-suficiente na criação de bovinos e produção de carne em grande escala.

De acordo com o plano, espera-se que até 2022 cheguem ao Planalto de Camabatela 60 mil animais, para aumentar a oferta de carne de produção nacional.

Outro propósito da importação desses animais é substituir gradualmente as importações de carne, processo que custa ao Estado cerca de 350 milhões de dólares/ano.

Com uma área equivalente a 12 mil campos de futebol, o Planalto de Camabatela reúne condições climáticas propícias para o desenvolvimento agro-pecuário, a bovinicultora de corte e para a criação de pequenos ruminantes.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.