Falando durante uma cerimónia na FILDA, Matos Cardoso disse que essa situação permite atrair investimentos estrangeiros que levam em conta as necessidades e a dimensão do país e permitem o estabelecimento de parcerias internacionais.

A FILDA, considerou, tem um papel importante, na medida em que, "com o foco na produção nacional e na promoção do país além-fronteiras, o sector privado nunca foi deixado à margem durante os 30 anos da FILDA, e a feira sempre foi vista como um evento privilegiado para troca de experiências com vista à divulgação do empreendedorismo nacional".

As parcerias, vincou, contribuem para o desenvolvimento económico do país, reforço da capacidade produtiva e sustentam o crescimento sustentável de Angola.

De acordo com as últimas previsões do Banco Mundial, divulgadas no mês passado, Angola deverá crescer 7,2% este ano e 7,5% em 2014.

Mais de mil empresas de 35 países da África, Ásia, América e Europa estão presentes na edição de 2013 da FILDA, o mais importante certame empresarial anual de Angola.

Hoje é o Dia de Portugal no certame, que volta a ser um dos países com mais empresas presentes, num pavilhão de 3.000 metros quadrados de área que alberga 92 empresas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.