Em declarações hoje, terça-feira, à Angop, o chefe da Repartição Fiscal local, Untona dos Santos Vontade, explicou que estão criadas as condições para o inicio deste processo, após o registo de 99 imóveis, cujo valor patrimonial ascende os cinco milhões de Kwanzas, por cada residência.

Nesta primeira fase, segundo o responsável, o cadastro incidiu sobre as residências do Bairro da Juventude, localizado na zona de Kilemos, periferia da cidade de Mbanza Kongo, tutelado pelo Ministério da Juventude e Desportos.

Constam também os condomínios das 15 Casas e  Falubamba, no bairro 4 de Fevereiro, assim como as residências para quadros, no bairro 11 de Novembro.

A fonte lembrou que o IPU começou a ser pago em 2019, sendo uma contribuição anual devida pelo cidadão ao Estado pela posse ou usufruto de uma casa, apartamento, moradia ou terreno e deve ser pago na repartição fiscal da área de localização dos imóveis.

Recordou que os imóveis com o valor até cinco milhões de Kwanzas estão isentos do pagamento do Imposto Predial Urbano.

A Repartição Fiscal de Mbanza Kongo funciona com nove trabalhadores, cuja actividade estende-se aos municípios do Cuimba e Nóqui e ao posto aduaneiro do Luvo, que dista a 60 quilómetros a norte desta cidade.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.