A informação foi prestada esta segunda-feira à imprensa pelo director-geral da AGROLIVE, Inocêncio Katiavala, salientando ainda que está previsto a criação, no ano agrícola 2020/21, de 62 postos de trabalhos directos.

Com isso, explicou, espera-se uma produção de 500 toneladas de milho e 100 de feijão.

Informou que o mesmo está a ser desenvolvido numa área de 350 hectares, onde decorrem igualmente trabalhos para a construção de represas que, nesta época seca, poderão auxiliar no processo de irrigação das culturas.

Inocêncio Katiavala referiu que o projecto tem por objectivo aumentar a produtividade, produção e comercialização destas colheitas em grande escala, para fazer face aos desafios da segurança alimentar e diversificação da economia no país.

No quadro do projecto, segundo o responsável, está igualmente previsto a reabilitação, através de trabalhos de terraplenagem, das vias secundárias e terciárias da região para facilitar o escoamento dos produtos do campo para as áreas de conservação, transformação, comercialização e consumo.

Em breves declarações, a administradora adjunta da comuna do Lépi, Florinda Nginga Lungi, valorizou a iniciativa que, segundo ela, vai estimular a produção agrícola e, ao mesmo tempo, reduzir o desemprego.

No município do Longonjo, cuja vila municipal situa-se a 64 quilómetros da cidade do Huambo, está em funcionamento, desde 2013, a fábrica de adubo orgânico “Soiadubo”, que produz fertilizante agrícola a base de excremento de gado bovino, capim e cevada, com a finalidade específica de dar mais dinâmica ao sector da agricultura.

Para além de fazer crescer as plantas, o adubo orgânico que se diferencia do químico em função dos seus resultados que são notados apenas durante um período mínimo de dois anos, enriquece igualmente os solos, através da recuperação dos seus ácidos, que podem se degradar através da constante actividade agrícola, com as chuvas e queimadas anárquicas

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.