De acordo com o administrador, que falava no seminário sobre as receitas municipais como fontes do Estado, referiu ser importante o cidadão pagar imposto para que o governo possa criar melhores condições de vida da população, sobretudo na área da saúde, educação, emprego, segurança, construção de novas infraestruturas, estradas e pontes.

“Qualquer sistema financeiro e organizado garante a formação, captação, capitalização, segurança das poupanças, mobilização e aplicação dos recursos financeiros para o desenvolvimento socioeconómico e social”, frisou.

Por seu turno, o director do Gabinete Jurídico e Contencioso Administrativo do Dande, Bemba António, referiu que as receitas municipais ou comunitárias constam no modelo de município independente e é uma realidade pertencente as autarquias locais.

O seminário sobre as receitas municipais, com duração de um dia, contou com a participação dos administradores comunais, quadros da administração municipal do Dande e seus órgãos locais e desconcentrados.