Fernando Domingos Francisco, conhecido como Zico, mostra-se triste com o actual estado do futebol angolano e defende condições de trabalho para os técnicos de formação, sobretudo respeito e bom salário para os mesmos.

De acordo com o ex-internacional, aqueles profissionais trabalham em péssimas condições e ganham mal. Com isto, critica os dirigentes da modalidade que fazem discursos enganadores sobre a aposta na formação.

“Temos presidentes de vários clubes que só falam em formação e nada fazem, nem sequer assistiram a um jogo dos escalões de formação. Como é que querem falar de formação se dão salários muito baixos aos treinadores? Não é possível”, salientou.

Zico mostrou-se também triste por ver os dirigentes dos clubes mais preocupados com os seniores. Com isto, apelou-os a prestarem mais atenção aos escalões de formação e deixarem de brincar com o futebol nacional.

Reforçou que tem notado mais interesse pessoal por parte dos responsáveis da modalidade. “Os dirigentes querem trabalhar para o lucro pessoal. Enquanto não tivermos dirigentes capazes, o nosso futebol vai continuar sempre mal”, alertou.

Aquele ex-médio central que abraçou a carreira de técnico de formação salientou que o futebol actual está muito abaixo em relação aos anos anteriores. Contudo, aconselha os dirigentes da modalidade a repensarem para melhorar nos próximos anos.

Zico jogou pelo Petro de Luanda, Progresso do Sambizanga e Palancas Negras. Conquistou cinco Girabola, igual número de Taça de Angola e quatro Supertaça duas Taça Cosafa. Além disso, tem outras conquistas individuais e colectivas.

Encerrou a carreira em 2006 ao serviço da equipa em que começou a jogar como profissional, o Progresso.

Por outro lado, dizer que em todas as transferências de um jogador para outra equipa, o clube que o formou recebe dez por cento da verba, referente ao direito de formação. Por este motivo, muitos clubes no mundo apostam seriamente na formação de jogadores.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.