Ao falar à imprensa, no final do desafio, visivelmente desolado, o técnico espanhol reconheceu que o seu conjunto tentou lutar por um resultado positivo, mas viu-se confrontado com um forte adversário, que soube explorar a carga emocional da parte dos jogadores do Petro.

“Entramos muito pressionados, na esperança de fazer um bom jogo e melhor resultado, de forma a salvar a época. O adversário foi forte nas transições rápidas e marcou o golo, que em certa medida abalou um pouco com a estrutura mental do grupo. A equipa tudo fez para que pudesse chegar pelo menos ao empate, mas o adversário foi mais forte e justo vencedor. Vamos planificar e preparar a próxima época desportiva”, frisou.

O único golo da partida foi apontado, por Dago, aos 74 minutos, que afastou assim o Petro da final da Taça de Angola.

Depois da conquista do GirabolaZap2018/19, os “militares” têm agora a possibilidade de fazer a “dobradinha”, caso vençam na final o Desportivo da Huíla, que afastou o Interclube (1-0).

A partida acontece já no próximo sábado, no estádio 11 de Novembro. Os “petrolíferos” são os detentores do troféu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.