Com esta distinção recente da FIBA África, o dirigente mostrou-se bastante orgulhoso e disse: “Sentimos como se fossemos nós a sermos nomeados. O contributo particular que eles deram ao desporto é de reconhecido meritório.”

O dirigente desejou continuação de sucessos aos compatriotas que trabalham há longos anos para elevarem a bandeira do país.

Explicou em seguida que a distinção surgiu em função dos feitos dos atletas nas suas equipas e Selecção Nacional nos últimos dez anos, que também se reflete no desenvolvimento da modalidade no continente africano.

Carlos Almeida jogou basquetebol profissional por muitos anos, conquistou títulos e sabe que as distinções não acontecem por acaso. Contudo, espera que a nova geração continue a dar o máximo, a fim de serem também distinguidos pelos organismos internacionais.

De recordar que o jogador do Petro, Carlos Morais, de 34 anos de idade, 1,93 metros de altura, ocupou recentemente o segundo lugar do Smash da Década, no qual concorreram adversários potentes de vários países.

Já o estremo-poste de 41 anos de idade que milita no 1.º de Agosto, Mingas, 1,98 metros de altura, sagrou-se o jogador mais valioso (MVP) da última edição do campeonato africano de clubes.

Além disso, os dois internacionais angolanos já conquistaram dezenas de títulos, individuais e colectivos, ao serviço das suas equipas e da Selecção Nacional.

 

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.