O presidente de direcção do Interclube e coordenador da Comissão Instaladora para a Criação da Liga Profissional de Futebol em Angola, Alves Simões, defende o arranque da prova com urgência.

“A Liga tem de sair urgentemente. Os clubes criaram uma comissão para tratarem deste assunto. Neste momento, estamos a trabalhar com o Dr. Policarpo, advogado da Federação Angolana de Futebol (FAF), no sentido de vermos formas de implementarmos a Liga.”

Simões fez saber que a cadeia televisiva sul-africana que estava interessada em trabalhar para a futura Liga foi rejeitada pela mesma comissão que preside. Com isto, justificou alguns dos motivos: “Nós rejeitamo-la porque pensávamos que íamos receber fundos e mundos da Zap!”

O dirigente revelou ainda que a mesma cadeia televisiva já chegou a dar cerca de um milhão de dólares norte-americanos por ano ao clube.

Simões esclareceu também que a futura Liga Profissional vai reunir receitas para suportar as despesas da competição. Porém, concluiu que as contas dos clubes serão auditadas e apresentadas na comissão organizadora da prova.

Sabe-se também que nas Ligas Profissionais jogam as equipas que têm condições financeiras. Com isto, tudo indica que a prova poderá acolher menos de dez equipas, uma vez que muitas têm dificuldades financeiras, perdem jogos por falta de comparência e chegam a anunciar desistência nos campeonatos pelos mesmos motivos.

Entre os clubes angolanos com alguma estabilidade financeira, destacam-se o 1.º de Agosto, Petro de Luanda e o Interclube.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.