O novo presidente do Atlético Sport Aviação (ASA) exige explicações por parte da FAF sobre o paradeiro dos dois milhões de dólares que aqueles organismos alegam publicamente terem dado às federações.

Este montante terá como finalidade colmatar as dificuldades do futebol nacional no contexto da pandemia da Covid-19. Contudo, o dirigente espelha as informações publicadas nos sites oficiais daqueles organismos da modalidade:

“A FIFA publicou no seu site que entregou um milhão e 800 mil dólares a todas as federações. A CAF também publicou que deu 200 mil para as 51 federações africanas. Quer dizer que a Federação recebeu dois milhões de dólares”, contabilizou.

José Luís Prata avançou que, deste modo, o organismo que rege a modalidade no país não tem como rejeitar. Contudo, espera que a referida verba sirva para ajudar principalmente os clubes reforçando que poderá tirar também o futebol nacional do estado critico em que se encontra há muitos anos.

Além daquele dirigente, os outros clubes e Associações Provinciais da modalidade também mostram-se atentos e exigem pronunciamento sobre o paradeiro dos dois milhões de dólares.

Com esta informação, tudo indica que nos próximos dias haverá novos desenvolvimentos uma vez que a direcção cessante da FAF continua sem se pronunciar e os associados ansiosos para saberem o destino da verba.

Recorde-se que o presidente da Recreativo da Caála, Horácio Mosquito, chegou a exigir a criaçao de uma comissão para fazer auditoria na conta bancária da FAF, a fim de haver maior transparência.

É também de conhecimento público que a FIFA apoia financeiramente todas as federações de futebol do mundo, ao passo que a CAF faz o mesmo com as federações africanas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.