“Temos de investir no futebol feminino. Angola tem muitos talentos fantásticos que podem ser bem lapidados para brilharem em África e no mundo”, aconselhou o dirigente.

Para incentivar e desenvolver o estado da modalidade no género, o ítalo-suíço apela por mais aposta na formação e competição e sobretudo à construção e recuperação das infra-estruturas desportivas.

Contudo, desejou sucessos aos fazedores do futebol angolano e espera ver também as selecções femininas de honra e dos escalões inferiores a competirem ao mais alto nível da modalidade ‘rainha’.

De salientar que Angola já deu alegrias no futebol feminino africano. Entre as atletas que brilharam na selecção nacional, destaque para Irene Gonçalves, a ex- ponta-de-lança e capitã do combinado.

Quanto às infra-estruturas desportivas por recuperar no país, realce para o maltratado Campo de São Paulo, adjacente ao Mercado dos Congoleses, localizado no bairro Nelito Soares, em Luanda.

Além daquelas instalações praticamente abandonas há mais de dez anos, o Estádio Ferrovia, na província da Huíla, agora com a relva de cor castanha, também está entre os mais críticos.

É também de conhecimento que o Estádio Nacional da Cidadela carece de reabilitação e apetrechamento em todos os compartimentos, apesar de acolher alguns jogos-treinos e outras actividades extra-desportivas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.