De acordo com o dirigente, o combinado precisa de apoios para lutar por um dos três primeiros lugares da prova que dão acesso directo para o Campeonato do Mundo que decorrerá em Setembro na Lituânia.

“Sei que não vai ser fácil tendo em conta a conjuntura mas temos fé que haverá pessoas com vontade de apoiar-nos para que Angola consiga dignificar o nosso futsal no Campeonato Africano”, salientou.

Sobre um possível estágio no exterior do país, Noé Alexandre fez saber que a direcção da FAFUSA vai tentar criar condições a fim de o cinco nacional ganhar mais traquejo e experiência. “Uma coisa é realizar partida a nível interno e outra é a nível externo”, sublinhou.

Por sua vez, o técnico da selecção Nacional, Benvindo Inácio, mostra-se confiante nos seus convocados mas admite que ainda há muito trabalho e jogos de controlo por realizar.

“Vamos trabalhar seriamente em todos os aspectos para fazermos uma boa campanha no Campeonato Africano. Sabemos que não é fácil mas acreditamos que podemos concretizar o nosso grande objectivo que é ocupar um dos três primeiros lugares da prova”, reforçou.

Nesta altura, o técnico e os seus pupilos aguardam pelo sorteio da prova para conhecerem os adversários que vão enfrentar na fase de grupos.

Recorde-se que o combinado angolano eliminou recentemente a similar da Zâmbia com goleada no duplo desafio para a CAN da modalidade por, 4-0 e 9-1, em Luzaka e em Luanda.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.