Em entrevista exclusiva ao SAPO, o dirigente com a graduação de sexto Dan fez saber que os associados da modalidade de todas as províncias apostam na sua continuidade para conduzir o quadriénio 2020/24.

“Os associados querem que eu continue, porque em pouco tempo não deu para mostrar tudo. E como eu tenho muita confiança neles, se calhar vou recandidatar-me porque eles são a massa eleitoral”, salientou.

Mestre Flash revelou que algumas vezes enfrenta falta de respeito por parte de algumas pessoas ligadas à modalidade, mas que tem ignorado por amor ao desporto que pratica há mais de 30 anos.

“Só por amor à camisola tenho de ‘engolir um monte de sapos’. Mas pronto, são coisas que acontecem no colectivo”, sublinhou o mestre da modalidade.

Porém, avançou que o seu elenco federativo já se prepara para fazer o balanço das actividades que realizou e participou durante o mandato que cessa este ano.

Sobre a última Assembleia da Federação, o dirigente concluiu que a data para a realização será definida depois de terminar a situação de calamidade no país, uma vez que Luanda se encontra em cerca sanitária.

Até ao momento, não há nenhum pronunciamento de possíveis candidatos ao pleito eleitoral da Federação de Taekwondo.

Esta modalidade de origem sul-coreana é praticada nas 18 províncias do país, mas nem todas estão registadas na Federação. Por este motivo ainda é desconhecido o número real de atletas, técnicos e árbitros.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.