O facto foi revelado hoje à Angop pela directora provincial da Cultura,   Turismo, Juventude e Desporto da província da Lunda Norte, Esmeralda  da Piedade Muaximate.

Na oportunidade, salientou que em distintas ocasiões a delegação angolana vai exaltar as figuras Ilunga e a Cafundeji.

“A primeira representa o símbolo do caçador, enquanto a segunda tem a ver com a face  da  puberdade” – descreveu a responsável, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, momentos antes de a delegação embarcar para a capital do Botswana.

Segundo  a  responsável, a intenção é aproveitar o evento para promover a cultura angolana por via do desporto e  incutir  aos  jovens  atletas  a  necessidade  de  preservar, eternizar  e  valorizar os traços culturais das várias regiões de Angola, neste particular, a Lunda-tchokwe.

A delegação angolana ao presente Jogos da SADC/2018 é composta por 182 integrantes, entre os quais 113 atletas, com idades compreendidas entre os 15 e 19 anos, representando nove modalidades: atletismo, atletismo adaptado, futebol, judo, natação, basquetebol, ténis, boxe e voleibol.

Em 2016, na VII edição (em solo pátrio), Angola classificou-se em quarto lugar com um total de 34 medalhas, das quais 12 de ouro, 8 de prata e 14 de bronze, num quadro liderado pela África do Sul com 125 medalhas no total (63 de ouro, 33 de prata e 29 de bronze).