Norberto de Castro garante continuidade das obras da fábrica de material desportivo instalada no complexo com o seu nome, localizado no bairro Capalanca, no município de Viana, em Luanda.

O dirigente esclareceu que as obras estão paradas devido ao estado de emergência em vigor no país e cuja segunda prorrogação termina a 10 de Maio próximo. “Tão logo que termine a situação que o mundo está a viver continuaremos com as obras. Todos sabem a grande importância que tem uma fábrica de material desportivo”, reforçou.

Norberto de Castro não teceu comentários sobre o prazo previsto para a conclusão das obras nem sobre o orçamento e apetrechamento para a fábrica mas afirmou ser um dos três candidatos à presidência da FAF.

Explicou que vai candidatar-se naquela instituição que rege a modalidade no país para satisfazer 80 por cento dos pedidos do público e dos clubes nacionais da primeira e segunda divisão.

“Eu sou um homem com muitas dificuldades e que vivo, como, durmo e acordo com o futebol. Não sou o salvador da pátria mas também não vou para a Federação para complicar os sofredores. Há pessoas verdadeiramente do futebol”, esclareceu.

Recorde-se que Norberto de Castro foi o primeiro a demitir-se da FAF, na qual ocupava o cargo de vice-presidente para o futebol. A sua demissão aconteceu após alegar que alguns encontros do organismo eram realizados sem o conhecimento dos outros dirigentes.

De reforçar que aquele dirigente é o empresário do médio angolano do Al Haly, Hermenegildo da Costa Bartolomeu, mais conhecido como Geraldo, fruto do Complexo Desportivo e Escolar Norberto de Castro.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.