O pugilista do Interclube da categoria de 69 quilogramas, Naftal Goma, uma das principais referências do boxe angolano da actualidade, lamenta a falta de apoios para a modalidade em Cabinda.

Fez saber também que deixou de representar a sua terra natal por não ser reconhecido como profissional naquelas paragens onde já teve várias promessas de apoios sem sucesso.

“O reconhecimento e consideração tinha de partir da minha província que praticamente não ajuda em nada. Eu trabalho bastante e estou na selecção nacional desde 2016”, realçou com tristeza.

Contudo, Naftal espera êxitos no seu novo clube onde sonha preencher o curriculum desportivo com dezenas de conquistas.

De salientar que o atleta tem vencido vários combates por KO com realce para o último campeonato nacional de 2018 onde derrotou o representante do Zaire, Simão Zola.

Em Angola, o boxe está entre as modalidade que menos gasta dinheiro do Orçamento Geral de Estado e mais conquistas almeja nas provas internacionais.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.