Marcelina Kiala, membro da comissão executiva do Comité Olímpico Angolano (COA), apela à mudança de consciência dos dirigentes desportivos, a fim de darem espaço para os treinadores viajarem com os seus atletas.

“Queira lançar um apelo para os nossos dirigentes que estão nos poderes de decisão: os atletas devem estar representados com os seus treinadores. Meus caros, vamos acordar para a realidade.”

Kiala lamentou o sucedido e reforçou que não é a mesma coisa quando um atleta compete na ausência do treinador que o preparou, ainda que seja orientado por um conhecedor da matéria.

Contudo, a ex- internacional pediu mais respeito aos treinadores. Porém, concluiu que só haverá evolução no desporto, se os técnicos estrangeiros tiverem os nacionais como seus adjuntos.

Sabe-se que muitos dos integrantes das delegações angolanas que viajam para o estrangeiro são dirigentes, destaque para os presidentes das federações, vice-presidentes, secretários-gerais e directores técnicos.

Este tipo de comportamento acontece mais nas modalidades individuais, nas quais muitas das vezes as delegações são constituídas com o maior número de dirigentes das federações do que atletas.

Com aquele apelo, os dirigentes desportivos poderão priorizar os treinadores nos Jogos da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), que acontecem já este mês, na cidade de Gaberone, no Botswana.