De acordo com o antigo médio dos encarnados da luz, Nuno Assis, em entrevista na edição desta terça-feira do jornal Português “Record”, tratou-se de um período atípico pelo facto de um jogador limitado se tornar o “herói da época”.

“Na altura já não conseguia esconder as dificuldades físicas. No balneário virava-se para nós e dizia que só precisava de cinco minutos, até porque não conseguia jogar muito mais. Certo é que Mantorras entrava, mexia com o jogo e até marcava. Foi uma época atípica", sustentou.

Do mesmo modo, destacou a importância do técnico italiano Giovanni Trapattoni.

“Era um senhor e tinha o grupo com ele. Lembro-me que esporadicamente se sentava no banco e dizia-nos hoje fazem o que querem, de forma a aliviar a pressão”, referiu.

Mantorras nasceu em Luanda a 13 de Março de 1982. Jogou no Progresso Sambizanga (1999), Alverca (1999/2001) e no Benfica (2001/2011).

Após lesão sofrida em Dezembro de 2001, durante um jogo com o Sporting, o antigo futebolista padece de condrólise, que consiste no desaparecimento da cartilagem articular de um ou todos os compartimentos do joelho.

Joelho direito do avançado não melhorou após quatro cirurgias e inúmeros tratamentos, terminando a carreira prematuramente em 2012, aos 28 anos de idade.

No Benfica, foi campeão da Liga portuguesa nas épocas de 2004/05 e 2009/2010, vencedor da Taça de Portugal (2004) e vencedor da Supertaça de Portugal (2005).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.